Categorias
Tipos de Queijos

Queijo curado: benefícios e como fazer

De alta importância na alimentação, os queijos estão presentes nas refeições há cerca de 2 mil anos e, desde então, as variedades produzidas vem aumentando, gerando uma infinidade de categorias e nomes. Um deles é, justamente, o queijo curado.

Muitos indivíduos, ao se interessarem pelo tema e por todos os assuntos pertinentes ao assunto, gostariam de saber mais sobre esse tipo de queijo. Se você é um deles, continue a leitura e saiba em que consiste o queijo curado, como fazê-lo em casa e os principais benefícios de seu consumo. Boa leitura!

O que é queijo curado?

O queijo curado passa por várias alterações microbiológicas em seu processo de evolução. Essa jornada é sempre cheia de sabor, iluminada e linda? Não. Contudo, quando tudo dá certo, o produto em questão adquire sabor único, textura perfeita e alta complexidade.

Com efeito, no fantástico microuniverso das bactérias, a chamada “cura” representa um grande banquete. Bactérias benéficas e demais organismos devoram gorduras, proteínas e açúcares. Isso transforma a estrutura molecular dos queijos, que podem se tornar, assim, mais cremosos. Esses bichinhos comem incessantemente e, como resultado, compostos aromáticos são liberados.

Como fazer queijo curado em casa?

É preciso, antes de mais nada, escolher um queijo que seja mais fresco, de preferência, algum que você já esteja acostumado a consumir. Sem embargo, você já pode comprar um “meia cura”, mas é altamente recomendável iniciar “do zero”, a fim de conferir sua assinatura pessoal a esse processo.

O queijo selecionado deve ficar em uma área da cozinha na qual exista boa ventilação e um adequado abrigo contra o excesso de umidade e de luz. Curar é, de forma geral, o mesmo que secar, logo, altos níveis de umidade não é aconselhável.

Coloque o seu queijo sobre uma superfície ou tábua que absorva umidade. Existem caixas para a cura de queijos que são fabricadas com telas finas, a fim de permitir a circulação de ar por toda a sua superfície.

Todavia, se você utilizar uma tábua normal de cozinha, o processo consistirá em deixar o queijo nesse local e virá-lo a cada 24 ou 12 horas, deixando, ao todo, por 72 horas ou mais.

O queijo secará, a cada dia, um pouco mais, ficando duro e adquirindo sabores mais ácidos, picantes ou salgados, segundo suas características originais. É preciso cortar um pedacinho para a degustação, então, faça o corte de modo que seja possível deixar esse lado virado para baixo na tábua. Na sequência, prossiga com a cura.

Caso seja necessário cobrir seu queijo devido aos insetos, o mais indicado é utilizar coberturas de tela (elas podem ser encontradas em quaisquer lojas de produtos para a casa ou cozinha). Se você desejar interromper a cura, deve cortar o queijo em 4 partes e embalar cada uma em plástico filme.

Interrompendo a cura

Ao armazená-lo na geladeira, você interromperá o processo, uma vez que o queijo receberá novamente a umidade deste local. Vale lembrar que a umidade do ar influencia significativamente o processo. De fato, climas úmidos alongam a cura, fazendo com que os aromas e os sabores sejam peculiares.

Com efeito, fazer suas próprias curas em casa é algo que pode proporcionar muito prazer, uma vez que a cada queijo, você poderá testar novos tempos, produzindo sabores e aromas exclusivos.

Uma boa ideia é conversar com o seu fornecedor e perguntar quais queijos podem ficar de uma forma ou de outra. Ele, certamente, conhece os produtos que comercializa e suas especificidades. Ademais, uma conversa dessa natureza pode render novos conhecimentos aplicáveis em seus processos caseiros de cura.

Queijo curado

Dicas na hora da compra

Quando você for comprar os seus queijos, lembre-se de considerar certas características essenciais das peças, tais como:

  • Salitre: esse momento é o da confiança. A resina protege, efetivamente, os queijos, portanto, ninguém melhor que o produtor e/ou vendedor para informar os tempos de maturação. Não se esqueça de que a intensidade da acidez depende, em grande medida, da “idade” do queijo;
  • Araxá: as cascas não devem apresentar fissuras e a tonalidade deve ser amarelada e clara. A massa, por sua vez, não deve ter muitos furos e ser compacta;
  • Canastra: o aroma lácteo deverá ser suave. Isso indica a qualidade do queijo. Sendo assim, evite adquirir produtos com pontos de mofo avermelhados ou cascas rachadas;
  • Serro: novamente, a casca deve ser um ponto de atenção especial, pois ela deve ser fina e rígida, com massa, conforme mencionado, bem compacta.

Principais benefícios do queijo curado

O queijo curado, além de ser um ótimo complemento de refeições, traz uma ampla gama de elementos que ajuda a melhorar a saúde do organismo, desde proteínas essenciais até o cálcio para o bom funcionamento das articulações e dos ossos.

Variar o cardápio é de suma importância, equilibrando a quantidade e apostando na variedade dos alimentos. Essa é a chave para assegurar que o seu corpo recebe os nutrientes de que necessita. O queijo curado pode ser um grande aliado, oferecendo, por exemplo:

Vitaminas

Em termos gerais, o queijo curado possui vitaminas que integram o chamado “complexo B”, cuja função se volta à tonificação neuromuscular, bem como vitamina A, que se relaciona ao sistema imunológico, à saúde reprodutiva e à diferenciação celular, apresentando, ainda, função antioxidante.

Cálcio

Enquanto produto lácteo, o queijo curado fornece grandes quantidades de cálcio. Tal nutriente exerce um papel crucial na regulação dos processos intracelulares, sendo fundamental para a saúde dental e óssea.

Gorduras

Diferente do que comumente se pensa, as gorduras lácteas não prejudicam a saúde cardiovascular e, até mesmo, possuem efeitos protetores. Isso vem sendo comprovado por diversas investigações científicas.

Proteínas

As proteínas existentes no leite e em seus derivados compõe-se por caseínas (altamente estáveis e que não são alteradas pela ação do calor) e proteínas do soro (representando um quinto dos nutrientes presentes nos laticínios). Elas se destacam pela relevância nas sínteses de proteínas teciduais e sanguíneas.

As vantagens de ingerir proteínas lácteas vão ainda mais além: elas possuem os chamados “peptídeos bioativos” – capazes de oferecer incontáveis benefícios à saúde, associados, sobretudo, às ações nutricionais, opioides, antioxidantes, antimicrobianas, imunomoduladoras e anti-hipertensivas. Em outras palavras, o queijo curado auxilia nas absorções de minerais.

Por Redação Sobre Queijos

Somos apaixonados por queijos em seus mais diversos formatos. Aqui você vai encontrar tudo que precisa saber sobre essa delícia! #AmamosQueijo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *